Sem categoria

Resenha do Livro A bruxa de Ferro para o desafio I DARE YOU

Sabe aqueles livros que por acaso encontramos em uma livraria e a capa é simplesmente encantadora? Essa foi minha primeira impressão sobre o livro A Bruxa de Ferro.

Em seguida li a sinopse e mais uma vez achei ter encontrado um tesouro perdido naquela livraria.

Como eu gosto bastante da temática resolvi adicionar a minha lista infinita de livros para ler.

Aproveitando que uma das três opções do I DARE YOU para o mês de janeiro era um livro escrito por autor inglês me joguei na leitura. Mas eu que eu não imaginava é que esse livro ia ser terrivelmente chato, entediante e sem graça.

Minha gente, a história tinha tudo pra ser ótima, mas ela não me convenceu de forma alguma. Achei um tédio do início ao fim. A personagem principal, Donna, é uma dessas adolescentes sem graça e que buscam aceitação e tem medo de demonstrar o que realmente é.

Mas, deixa eu fazer um apanhado geral dessa história. Donna Underwood é uma adolescente com segredos, ela é bruxa e possui tatuagens feitas a base de ferro nas mãos – e sim, é explicado no livro como e porque ela “ganhou” essas estranhas tatuagens – além disso ela tem uma força descomunal.

Como a maioria dos personagens de livros juvenis ela entra naquele cliché não tem muitos amigos, é a esquisitona da escola e todos adoram pegar no seu pé. Seu único desejo é ser normal e viver uma vida simples e comum.

Donna divide a trama com dois personagens secundários, que aparentemente formam um triangulo, mas isso não fica muito claro, porque acho que não era o foco desse primeiro livro. Navin Sharma, o amigo de quem ela esconde os segredos da sua existência, e que fica bem claro estar apaixonado por ela que não percebe nada e Xan, um cara mais velho, misterioso que parece compreender tudo sobre Donna. E que a deixa encantada e que parece que vai decolar em um romance.

A trama tem ainda ‘vilões’ que são os Elfos das Trevas. Criaturas que moram nas florestas e tem uma grande fragilidade no contato com o ferro. Infelizmente não dá pra falar muito deles sem dar spoilers.

O livro trouxe uma escrita diferente do habitual, apesar de ser narrado em terceira pessoa, alguns trechos são narrados pela Donna em forma de diário.

Os personagens são todos muito bem delineados e a mitologia da série foi muito bem montada. Um detalhe que eu achei bem interessante é o recurso que a autora usou para contar a história de Donna. Ao invés de colocar a personagem pensando sobre os acontecimentos de sua vida, ou contando isso para alguém, a autora incluiu ao longo do livro trechos do diário pessoal de Donna. Deu um toque diferente para a história.

Os capítulos são demasiados longos, e parece que a história nunca vai acabar. Enfim, achei a leitura tediosa e ainda não sei se lerei a continuação pra ter certeza se realmente não gosto da história. 

Esse é o primeiro livro de uma trilogia e é o único traduzido para o português até o momento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s